Tecnologia do Blogger.
RSS

Dia do Profissional de Educação Física


Sou formada há 4 anos e trabalho com Educação Física há 6. Tenho vivido muitas experiências únicas –cuidar de pessoas em diferentes idades, de diferentes culturas e etnias– é sempre algo único, mas algumas coisas me incomodam neste ramo. A maioria de nós, senão todos, reconhece a Educação Física como uma área da saúde. Trabalhamos para o bem estar físico das pessoas, queremos que elas melhorem suas capacidades motoras, sejam bem condicionadas. Mas, será que estamos pautando nossas ações profissionais nas bases teóricas da grande área “saúde”?
Nos formamos e queremos títulos: humm agora sou “Preparador Físico”, “Personal Trainer”... Eu gostava mesmo quando era chamada de “monitora de academia” porque minha competência estava neste nível. Apta apenas para conduzir e monitorar exercícios pré determinados, em equipamentos “ideais”, onde todas as pessoas eram capazes de realizar. Avaliação? Ah sim, todos precisam de uma avaliação! Aí fazia a mesma avaliação pra todos, jogava os dados no computador e imprimia o gráfico com os percentuais que ninguém sabia pra que servia. Afinal, vamos “condicionar” as pessoas...
Muitas vezes acreditei que deveria estudar sobre o exercício: aeróbico, de força, de resistência, de flexibilidade... como fazer, quanto fazer, onde fazer. Claro, isso me ajudou bastante no início, mas compreendo agora que tudo deve se basear em uma só estrutura: a célula. Isso mesmo! Como área da saúde, a Educação Física deve ser fundamentada na menor estrutura funcional do nosso corpo. É a partir dela que devemos conduzir nossos alunos aos seus objetivos. Devo entender o que o exercício que preparei e ensinei irá produzir em determinada célula. Daí a importância de compreender princípios bioquímicos, fisiológicos e dominar anatomia, para realmente chegar aonde se quer chegar. E assim, poder dizer, com resultados reais na mão: aqui está o resultado do meu trabalho como “Preparador Físico” e “Personal Trainer”.
Concluindo esta reflexão, gostaria que todos os profissionais se voltassem às coisas simples, não vivessem apenas de marketing, mas oferecessem um trabalho real, que trouxesse benefícios reais. Que aceitasse ser chamado de professor ou educador e levasse a sério seu trabalho, pois um profissional incompetente “contamina” o trabalho dos demais profissionais. Portanto, valorize seu trabalho e o de outros, não julgue sem analisar suas ações e a de outros. E, mais importante, não se contente com seu conhecimento, busque sempre se aprofundar e se aperfeiçoar.

Parabéns a todos os profissionais de Educação Física
 pelo nosso dia! 
Jaqueline Alves Nieto
CREF: 090794-G/SP

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...